!!Por causa da antipatia... ou: como os reis de leon de passaram a rasteira!! por Rod Castro

28 de jun de 2007


Antipatia. Boa parte das bandas pelas quais você tem este sentimento serão suas bandas preferidas em algum momento na sua carreira de roqueiro. E isso não é uma praga, é uma constatação. Puxe pela memória que você vai ver que não há exagero da minha parte. Tenta lembrar aí, que te dou até um tempo... pensa..., viu, é verdade?

Isso já aconteceu comigo com três das bandas que mais gosto: Led Zeppelin – aos doze anos – Radiohead – aos catorze – e The Strokes – aos 23. E o único conselho é o mesmo de sempre: não tire aquele som como uma verdade imutável e ao mesmo tempo tenha certeza absoluta de que você também pode acordar outra pessoa depois de dormir esta noite.

Os seus conceitos auditivos de dois dias atrás podem mudar e evoluir, assim como o som do “imprestável e medíocre” que você se dispôs a ouvir. E com este pensamento que declaro que mais uma “banda horripilante” – no meu gosto, certo? – passou-me uma rasteira certeira com seu novo disco: “Because Of The Times”, do Kings Of Leon.

Este é um disco que merece sua atenção por carregar tantos elementos e ter tanta coragem de ser o que é. Em nenhum momento, faixa, há algo que corrompa o que desde o primeiro play tenha chegado aos seus ouvidos. Há sim, uma sonoridade de vanguarda que prima por uma qualidade e uma importante rede de detalhes que o motivam a pressionar a tecla repeat de seu MP3 player ou CD player dezenas de vezes.

Para ser bem sincero, minha marra com a banda surgiu após assistir seu primeiro clip na MTV ao lado de mais dois amigos. O programa que passava os apresentava como originais e donos de um som a ser seguido. Mas como? Se o que eu via era uma imitação do estilo de uma banda que eu havia aprendido a gostar ouvindo os vinis de meu pai, o Creedance Clearwater Revival?

Ali morava a razão principal para minha antipatia: comparações.

Alguns anos depois, fui ao Tim Festival 2005 e assisti ao show do Kings antes do principal, o dos Strokes. Naquele dia, parte de minha ojeriza com a banda começou a desaparecer. A fórmula: simplicidade, solos de guitarra bem feitos, cozinha – baixo/bateria - bem azeitada e vocalista com timbre diferenciado, assim como Jullian Casablancas (Strokes) e Rodrigo Amarantes (Los Hermanos).

Falo: está difícil de ter um CD tão bem feito, sem pular uma música sequer, em 2007. São músicas diferentes e tão próximas que as disparidades se realçam e tornam-se únicas a cada acorde, batida ou levada. O único porem: a ausência total de uma música que possa ganhar mais destaque que as demais.

Mas... Entenda: “Because...” é para ser ouvido de cabo a rabo. Sem paradas, entendimentos ou buscas. O que está tocando tem suas razões, e todas servem para você se desculpar com os caipiras e descobrir que eles têm mais a oferecer do que se imagina – me inclua nessa.

Nota 9,0.

Nenhum comentário: