!!Sábias palavras Jack!!

15 de fev de 2008

Jack Nicholson é um ator que respeito. Tirando alguns deslizes - e credito aqui o tão falado Coringa do "Batman" de Tim Burton - o cara arrebenta, vide "O Iluminado", "Um Estranho No Ninho", "Melhor Impossível" e "Os Ifiltrados".

Há praticamente um mês e meio, alguns sites e até mesmos jornais que copiam notícias da internet e postam na sua contra capa (sem revisar), foi dito que o velho ator tinha largado o pau no novo Coringa encarnado pelo, agora falecido, ator Heath Ledger.

Poucos dias depois de ler o alarde da "declaração" feita por Jack, acabei por ler a entrevista concedida pelo ator a Folha de São Paulo. Ele simplesmente avisava que algo de estranho estava ocorrendo com Ledger – Nicholson havia visto algumas cenas do trabalho e tinha se impressionado. O fim da previsão do veterano todos nós já sabemos. Mas essa excelente entrevista tinha um trecho muito bom, falando sobre a impressão que ele tem do mercado americano de cinema e a relação travada pela a imprensa (paga?) sobre lucro e bom filme.

Faço minhas as palavras do sábio Jack:

“Hoje em dia não vemos filmes estrangeiros aqui (EUA), eles não os distribuem como costumavam. Antes, víamos uma obra-prima por semana, foi assim por 14 anos. Bergman, Kurosawa, De Sica, Pasolini, Bertolucci, Truffaut, Resnais, cada semana era alguém. Não sabíamos, mas era a melhor educação possível. Além disso, eles adoravam os filmes americanos tanto quanto, Huston, Ford, Hawks. Essa é a parte boa de pertencer à industria cinematográfica, não gostamos de admitir, mas somos muito sentimentais sobre as tradições.

Ainda assisto aos filmes como cinéfilo, mas a indústria mudou, foi tomada por conglomerados. Um filme que faz, digamos, 10 milhões de dólares não significa nada porque agora se lida com centenas de milhões. Uma emprea de filmes é, de certo, só um departamento de organizações maiores, mesmo para as pessoas que assistem aos filmes a sensação de sucesso fica distorcida por esses parâmetros, é difícil encaixar cinema de autor nesse conceito.".

Nenhum comentário: