!! Duas comédias de matar de rir... ou: “Os Simpsons” e “O Vidente”!! por Rod Castro

10 de out de 2007

“Os Simpsons”

É eu não vejo Os Simpsons faz muito tempo e não, não é por falta de interesse. O culpado principal é o “Zappeando”, programa de variedades jovem que passa na emissora que retransmite o seriado da família amarela de olhos arregalados em rede nacional, para a cidade em que vivo Manaus.

E isso é ruim e depõe até mesmo contra qualquer comentário engraçado que eu possa fazer a respeito da história – referências a episódios sensacionais no caso - dos Simpsons. Assim, vamos ao que interessa:

O filme é engraçado, exagerado, escatológico, cheio de piadas de situações, boas dublagens – foco de reclamações dos fãs que queriam o mesmo dublador das antigas do patriarca da família - tem várias sacanagens relacionadas a uma penca de filmes de sucesso - destaque para “porco aranha, porco aranha” cantarolado por Hommer – e merece ser conferido, agora em DVD neste mês de outubro. Confira, divirta-se aos montes e tomará que os produtores estejam mentindo quanto à possibilidade de não se realizar uma continuação. Nota 8,0!!
“O Vidente”

Este filme é ruim.

Se você tivesse o poder de ver seu futuro com dois minutos de antecedência, faria uma bobagem? Pagaria um mico? Entraria numa furada? Acho que não né?
Bem, se você se chama Nicolas Cage ou Julianne Moore, as chances de você assinar um contrato para fazer uma bobagem, acredite: é imensa. Sério, este dois excelentes atores que já foram indicados e até mesmo vencedores de prêmios importantes do cinema, parecem ter um certo imã de atração para fazer lixo de vez em quando.

E como foi dito há dois minutos atrás: esse filme é ruim. E se baseia exatamente nessa premissa que utilizei nesse texto, ao por o que seria dito agorinha acima bem no início, logo na primeira linha.

Ou seja: Nicolas Cage é um cara que tem o extraordinário poder de ver seu futuro com até dois minutos de antecedência. E por isso mesmo o FBI, liderado por Julianne Moore, necessita de seus “poderes” para descobrir onde alguns terroristas de sotaque francês esconderam uma bomba atômica.

Nota 3,0. E com dois minutos de antecedência.

O final pode agradar a alguns e se utiliza de um recurso já feito antes pelo eterno mestre do cinema Alfred Hitchcock em “Pavor nos Bastidores”. Filme que é o mais criticado e execrado do diretor por se utilizar de algo falso para vender uma finalização verdadeira. Só vendo para entender o que escrevi agorinha u tendo o poder de Cage. Que parece ter falhado ao ter assinado esse contrato.

Assim você não precisa ser vidente para saber qual é a nota: 3,0. (e ainda assim pelas citações a filmes de Stanley Kubrick, como a máquina de abrir olhos de “Laranja Mecânica” e a imagem em um televisor do excelente “Dr. Strangelove, mais conhecido como “Dr. Fantástico, filme que se eu recebesse de presente, agradeceria).

Nenhum comentário: