!!Só pondo os óculos 3D para ver o carequinha dourado de perto Cameron!! Por Rod Castro!

9 de mar de 2010

A festa foi melhor do que a dos anos anteriores. Martin e Baldwin tirando sarro da ridícula indicação de George Clooney foram o ponto alto das piadas – até hoje não entendi como Sam Rockwell ficou de fora por seu trabalho em “Lunar” (um dos melhores filmes que vi este ano) e o “charmoso” mordeu essa indicação.

Primeiro o inaceitável: 10 filmes indicados e aí a Academia vai é coloca: “Um Homem Sério”, “A Educação”, “Um Sonho Impossível”, “Amor Sem Escalas”, “Um Homem Sério” e “Up, Altas Aventuras”? Brincadeira. Principalmente pelo último que todos sabiam que levaria o de melhor animação.

E quando faço a lista dos que deveriam estar entre os 10, dos quais seis vagas foram porcamente preenchidas é que me questiono onde foi parar o nexo dos membros da tal Academia por ignorar filmes como: “Onde Vivem Os Monstros”, “A Estrada”, “500 Dias Com Ela”, “Sede de Sangue”, “Inimigos Públicos” e o próprio “Lunar”. No mínimo uma situação absurda.

Tudo bem que “Avatar” naufragou. E eu ri muito disso. Mas mesmo assim, achei que Quentin Tarantino levaria algum prêmio menos óbvio do que o que o seu ator coadjuvante levou merecidamente. É um absurdo a Academia ignorar o melhor roteiro já escrito por Taranta, ainda mais premiando “Guerra Ao Terror” que sofre duras críticas por seu autor ter roubado histórias verdadeiras sem dar crédito aos que viveram os fatos.

Dos momentos que realmente fiquei feliz em ver estão: Mo´nique recebendo seu merecido Oscar por sua atuação magistral em “Preciosa” – uma pena que os jurados não tiveram a mesma coragem e premiaram a estreante Gabourey Sidibe em seu papel principal no mesmo filme; o já citado Christoph Waltz superando até mesmo o carisma e a carreira ignorada por premiações de seu xará Christopher Plummer; e o roteirista estreante (de “Preciosa”) que tirou o Oscar de roteiro adaptado do sofrível Jason Reitman e sua história elitizada e distante do público (o sem graça “Amor Sem Escalas”).

De todos os momentos que acompanhei dois emocionaram-me de verdade: ver a homenagem aos indicados a atores principais. Não sei se você notou, mas dos 5 atores que estavam sobre o palco falando de seus colegas, somente um não trabalhou com Jeff Bridges (o vencedor): a linda Vera Farminga.

Todos os outros acompanharam Jeff por sua prolífica e competente carreira: Juliane Moore fez o clássico “O Grande Lebowski”, Colin Farrel o recente “Coração Louco”, Tim Robbins contracenou com ele no subestimado “O Suspeito da Rua Arlington” e Michelle Pfeiffer, como ela bem disse, foi sua parceira no sempre esquecido “Susan e os Backer Boys”. Jeff mercê, há tempo e finalmente, aos 60 anos, recebeu a merecida homenagem.

E para encerrar o momento mágico: ver a cara de panaca do James Cameron tendo total certeza de que sairia arrebentando da festa e totalmente sem graça ao ver sua ex-esposa, sentada a sua frente, levando os principais carequinhas dourados pelo seu belo trabalho em “Guerra Ao Terror”. Para ficar perfeito só se a lista fosse assim:

Melhor Filme: Bastardos Inglórios – Melhor Diretor: Quentin Tarantino – Melhor Ator: Jeff Bridges – Melhor Ator Coadjuvante: Christoph Waltz – Melhor Atriz: Gabourey Sidibe – Melhor Atriz Coadjuvante: Mo´nique – Melhor Roteiro Adaptado: Distrito 9 – Melhor Roteiro Original: Bastardos Inglórios.

Mas eu ainda não voto lá. Vamos ver...

Nenhum comentário: