!!Em uma década o YYYs será um clássico… ou “It´s A Blitz” por Rod Castro!

13 de mai de 2009

Em um programa de perguntas e respostas televisionado para todo o país, um senhor engravatado e com cabelo partido ao meio, faz uma importante pergunta a um rapaz branco de cabelos desarrumados e que se veste de forma descompromissada.

Como se fosse um efeito de computação, desses que só ocorrem em cinema, o tempo, antes mesmo da pergunta começar a ser feita, é percorrido de forma lenta. E enquanto a questão é formulada pelo senhor, os olhos do rapaz percorrem as telas que formam um muro por de trás do dono do programa.

Ao observar a tela, o jovem já sabe do que se trata e mal deixa o senhor esboçar seu sorriso e chamar o tempo para que o show realmente se inicie. Ele já sabe a resposta.

Ela é simples. Formada por três palavras, na verdade somente uma que se repete por três vezes e que na última pronúncia ganha o aditivo de um “s”. O apresentador retira o sorriso ensaiado do rosto ao receber uma resposta tão rápida, mas não sabe se ela está correta – na verdade não conhece nada sobre o assunto perguntado.

A platéia silencia por dois ou três segundos. A pergunta surge com destaque no “muro digital” que passa o programa ao vivo para o estúdio de gravação. As opções de respostas vão lentamente surgindo em caractéres.

A palavra pronunciada pelo rapaz surge por última na tela. O jovem sorri, o apresentador refaz a pergunta. O garoto repete sua resposta. As respostas vão desaparecendo até aquele interessante nome se tornar o único: Yeah Yeah Yeahs.

O nome é diferente. Não possui vírgulas separando as palavras repetidas e de certa forma, ao ser falado, lembra o som proferido por muitos cantores de um ritmo que todo adolescente conhece, aquele que de dez em dez anos a mídia assassina e que sempre renasce: a Fênix Sonora, o bom e velho rock & roll.

E após ler tudo isso você se interroga: “Quando foi isso?”. Daqui uns 15 anos. “E qual foi a pergunta?”. Qual banda dos anos 2000 se tornou clássica por se arriscar a cada novo disco?”.

E isso é fato: o YYY é a única banda que conseguiu se transformar de um disco para outro nesse novo milênio. E se nenhum integrante da banda morrer ou se não houver uma briga que resulte em separação, com certeza, daqui uns quinze anos, Karen O (vocalista) e seus companheiros serão a mais importante influência do novo rock.

Mais que The Strokes, Interpol e até mesmo o Kings Of Leon.

E a perpetuação desse fato ganha peso com o lançamento do novo diso “It´s a Blitz”. Muito diferente do (excelente) trabalho anterior – “Show Me Your Bones” – e ao mesmo tempo vanguardista como o primeiro, “Fever To Tell” - uma obra-prima.

“It´s a Blitz” merece local de respeito na estante: na ala reservada para os poucos novos clássicos lançados nesses ultimos 20 anos de rock. Nele o YYY mostra que este estilo é mais que um som característico: é atitude – algo que sobra a banda e a sua vocalista, a melhor do mundo hoje.
Destacar uma música no meio de um trabalho pensado em sua totalidade – pelo vocalista e líder do TV On The Radio - soaria injusto. O que posso dizer de "It´s a Blitz" e que com certeza deixará você muito curioso, é que a banda que começou como um filhote do punk fez um hit.

Mas não é um hit qualquer. Eles cometeram a música que mais vezes ouvi nesse ano de 2009: “Zero”. Daí pra frente o disco tem de tudo um pouco e merece sua apreciação do início ao fim.

Se 2009 continuar no ritmo que já estava, o YYY fez o disco do ano, de novo, nota 10,0! E realmente espero que o meu filho acerte essa pergunta daqui uns quinze anos em um programa de TV, como no início desse artigo.

Nenhum comentário: