!!A primeira faz Tcham, a segunda fez tchum e Franz Ferdinand, ou.. Tonight Franz Ferdinand!! Por Rod Castro

12 de mar de 2009

Em mil novecentos e oitenta e alguma coisa, em um sábado qualquer, enquanto minha mãe dormia, fiz uma das várias loucuras que fazia quando era criança: peguei o barbeador que ficava ao lado da pia e me olhando no espelho refiz a propaganda do momento e que infectou milhares de mentes naquela época, o comercial da Gilette. Nele, um rapaz passava o aparelho em seu rosto, enquanto a locução em Off falava: “A primeira faz tcham, a segunda faz tchun e tcham, tcham tcham!!”.

É óbvio que um garoto com idade entre 7 e 9 anos que fizesse isso com o aparelho de barbear sem nenhuma proteção nas lâminas iria se machucar. Eu não. A primeira passada do aparelho no rosto não fez nada, a segunda idem, mas a terceira, aquela em que o rapaz passava no queixo, exatamente a mais importante, prendeu. Entrou na carne e lá ficou até que minha enlouquecida mãe a retirasse.

Sim doeu, ficou uma bela cicatriz – no mesmo ponto que a do Indiana Jones – e o que diabos isso tem a ver com o novo disco do Franz Ferdinand? Tudo.

O primeiro disco do Franz foi um petardo oitentista que refez o conceito de muitas bandas que queriam soar moderninhas ou até mesmo vanguardistas, vide Killers e muitos outros. Com guitarras agressivas, baixo bem posto, bateria ritmada, o quarteto escocês lançou musicas interessantes, dançantes e até mesmo dois hits instantâneos: “Take Me Out” e “The Dark Of Matine”. Ou seja, um CD Tcham!

Daí veio o trabalho seguinte, “You Could Have It So Much Better” e a “praga do segundo disco” que persegue tão boas bandas do rock tanto na Escócia, quanto as tupiniquins, pegou o quarteto pelo pé e comprometeu todo o desempenho, resultando em um CD bom, mas muito aquém da capacidade artística e criativa que eles prometiam. Ou seja: Tchum (afundou)...

Mas assim como uma lâmina que corta um queixo tão fundo que o aparelho de barbear consegue ficar pendurado, o Franz, em seu terceiro disco, aprofunda seu som nos ouvidos de roqueiros do mundo inteiro e fazem um dos melhores discos do ano, e olha que 2009 mal começou: “Tonight: Franz Ferdinand”.

Tem de tudo: viagem total com refrão grudento (“Ulysses” e “Lucid Dreams”), anos oitenta bem ritmado e com inversões de acordes (“Turn It On” e “Can’t Stop Feeling”), pop com freadas ao bom e velho estilo Bowie de se compor (“No You Girls” e “Live Alone”), hits que ainda vão pegar (“What She Came For” e “Bite Hard”) e duas canções feitas quase que totalmente no formato voz e violão (“Dream Again” e “Katherine Kiss Me”).

Esse é o Franz Ferdinand, com direito a Tcham, Tcham, Tcham, Tcham – e porque não até uma cicatriz? Nota 8,5!

Nenhum comentário: