!!O Top 10 dos filmes de 2008!! por Rod Castro

15 de jan de 2009

Seguindo com a lista, mas agora o Top 10, confira:




10 – “30 Dias de Noite”: Adaptar um personagem para o cinema, além de ter se tornado um segmento, é relativamente fácil. São 30, 50, as vezes até 70 anos de histórias que vão te abastecer por muito tempo em tela grande. Mas como fazer com uma obra fechada de quadrinhos, que mistura realidade, vampiros e terror no seu mais alto grau? David Slade – mesmo diretor do subestimado “Meninamá.com” – mostra. Não é só o sangue que toma conta da tela, o medo e angustia também. Perfeito.






09 – “Não Estou Lá”: Ao contrário do que muitos pensam Bob Dylan nunca foi popular. Ele é conhecido , assim como suas letras, mas ele, como artista, sempre preferiu viver no mainstream, com personalidade multifacetada. O diretor Todd Haynes – o mesmo do já clássico/Cult “Velvet Goldmine” – percebe essa característica de seu biografado e o transforma em vários personagens, interpretados por atores diferentes, e produz um dos melhores filmes do ano.








08 – “O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford”: Logo em seu segundo trabalho, o diretor Neo Zelandês Andrew Dominik, fez uma das mais belas homenagens ao estilo clássico de se contar uma história, que mais uma vez “mama” em um clássico filme de faroeste: “O Assassinato de Jesse James”. Com certeza o filme com uma das melhores fotografias do ano, sem contar o duelo entre os atores principais que arrebentam: Brad Pitt e Casey Affleck.








07 – “Desejo e Reparação”: Assim como desmistificou e até mesmo deu uma nova roupagem aos filmes de época, logo em seu primeiro trabalho (“Orgulho e Preconceito”), o diretor Joe Wright conduz um dos melhores enredos do ano com pulso e delicadeza. Filme completo: boas atuações, direção de arte e fotografia de se tirar o chapéu, elenco afiado, um dos melhores plano-seqüência da história recente do cinema e a trilha sonora mais bem pensada do ano.






06 – “Onde os Fracos Não Têm Vez”: Por muito pouco o filme que mais ganhou prêmios esse ano e que foi a redenção de Hollywood ao estilo Coen de se fazer filmes, não pára entre os 05 melhores do ano. Mas isso não o desacredita. Filmão, com um dos melhores personagens pensados para o sempre excelente Javier Bardem e mais um a fazer homenagens ao estilo “Bang, Bang” de se contar uma história, onde os que são fracos, não têm vez.






05 – “Across The Universe”: Como fazer um filme que fale de um dos maiores ícones pop de todos os tempos? Como encaixar músicas que já fazem parte do inconsciente coletivo até mesmo dos marcianos? O desafio (?) de se fazer um musical com músicas dos Beatles se transformou em um dos melhores tributos, musicais e filme de arte do ano. No mínimo fabuloso, como os 4 foram. Para ter na estante.







04 – “Vermelho como o Céu”: Em 2008, você chorou? Eu sim e que eu me lembre, praticamente duas vezes: ao saber que meu filho havia nascido e ao assistir ao excelente “Vermelho como o Céu”. Uma tocante história de um garotinho italiano que amava o cinema e que sofre um acidente e fica cego. Como ele, e seus amigos de colégio, “vê” o mundo é uma das homenagens mais lindas que o cinema já recebeu. Obrigatório.









03 – “Wall-e”: Assistindo a transmissão do Globo de Ouro, no último domingo, acho que Rubens Ewald Filho deu uma dentro ao definir esse filme como um “2001, uma odisséia no espaço” das animações. Tirando o referencial gráfico da nave e quem Wall-e, sua companheira e o resto da humanidade vão parar, a importância desse filme para animação mundial está realmente equiparada ao clássico espacial pensado pelo mestre Stanley Kubrick. Clássico.








02 – “Batman, O Cavaleiro das Trevas”: Surpreso da melhor adaptação de quadrinhos já feita esta em segundo lugar? Não fique. Não há nada que comprometa o que aqui foi feito por Chris Nolan e sua equipe. As comparações com clássicos irretocáveis, como “O Poderoso Chefão II” – principalmente pela angustia presente em cena e que possui nome: o Coringa – não são exageradas e sim, Ledger teve todo o respeito com o personagem e com os fãs ao mostrar do que era e sempre foi capaz de fazer. Outro Clássico Instantâneo.







01 – “Sangue Negro”: Se o novo filme do morcego está para o novo cinema, como a continuação do clássico de Mario Puzzo e Francis Ford Coppola, pode ter certeza que essa obra-prima de Paul Thomas Anderson (mesmo diretor dos eternos subestimados “Boogie Nights” e “Magnólia”) - é o novo “Cidadão Kane” do novo cinema americano. E se em “Cavaleiro das Trevas” Ledger eclipsa quem aparece a sua frente, o que falar de Daniel Day-Lewis em mais uma “incorporação”? O melhor do ano.



E na semana que vem sai a lista das "20 Meiores" músicas que ouvi esse ano!

2 comentários:

Doce & Bacana disse...

preciso conseguir tempo para assistir a metade dos filmes que você destacou.

Dos que assisti e estão na sua lista, assino embaixo.

Depois vou postar a continuação no "doce"

Bizarro Kid disse...

Dizer que eu assisti a 10% dessa lista já me deixaria feliz. Como diria o macaco, minhas horas extras tão se estendendo mais que as plásticas da compamheira Dilma ou o mandato do Hugo Chávez, aí não sobra tempo pra ser gente. Mas a alforria virá! Valeu, Rod, sempre ótias dicas.