!! O Resto de 2008... ou: O Dia em Que a Terra Parou, Madagascar 2, Trovão Tropical e Bolt!! Por Rod Castro

29 de jan de 2009

Mais um ano se vai e outro começa, na mesma pilha de sempre, com tudo pra agora e repleto de filmes para ser conferidos. Tudo continua na mesma: os blockbusters continuam a estrear por aqui e uns poucos bons filmes que passam em telas do Brasil – na verdade entre RJ, SP E BH – aqui por essas bandas, apenas em DVD!

Para arrematar o ano que foi e o que inicia nada como um review rápido de alguns poucos filmes que vi no cinema recentemente, simbá?

“O Dia em Que a Terra Parou”: Joaquim Marinho – com o qual trabalho faz uma década – falou algo que eu já pensava: “O primeiro Dia em Que a Terra Parou já não era lá essas coisas!”.

A mais pura verdade, o filme virou a coqueluche daqueles tempos pelo incrível trabalho de marketing feito pela produtora, com comerciais intrigantes e uma dramatização impressionante e avassaladora, interpretada pelo gênio e logicamente genioso, Orson Welles em seu programa de rádio – quando pessoas enlouqueceram a pensar que realmente havia pousado um disco voador nos EUA.

Em resumo: o filme continua a mesma coisa. Frio, interpretações pífias – salvam-se o filho do Will Smith e Jeniffer Connely – um roteirozinho bobo e efeitos caprichados, nada diferente dos outros cem filmes que estréiam por ano vindo de Hollywood. Nota 5,0.

“Madagascar 2”: Você já ouviu a versão original de “A Little Conversation” de Elvis Presley? É sensacional. E a regravada e mixada para “Onze Homens e Um Segredo”, boa também certo?

Em “Madagascar 2” é o mesmo raciocínio acima: o que era bom, os personagens, a trilha e a computação gráfica, continuam incríveis e engraçadíssimos. A história difere um pouquinho e mostra um pouco de selvageria em vez de Manhattan.

Divertido, engraçado, impressionante – computação – e mais uma vez, uma boa aventura. Direto para a coleção de DVDs, nota 8,5!

“Trovão Tropical”: Acabei de ler a crítica feita por Rubens Ewald Filho, no site da Uol, e discordo plenamente do que ele fala desse filme engraçadíssimo, dirigido e estrelado por Ben Stiler.

O principal motivo que me faz gostar desse filme é que eu adoro filmes de guerra – Apocalipse Now está entre os 10 melhores filmes que já vi – o segundo me remete a uma daquelas frases de livros de auto-ajuda: ria de você mesmo.

E do principio ao fim do filme você ri e muito do segmento Guerra, da indústria do cinema e seus astros e se bobear de você mesmo que adora aquilo tudo. Destaque para Tom Cruise que arrebenta como empresário bruto e Robert Downey Jr. que faz um dos papéis mais marcantes e engraçados de toda a sua carreira.

Nota 8,5 – poderia ser 9 se Jack Black fosse mais bem aproveitado.

“Bolt”: Não tão diferente de Madagascar, mas bem próximo de Os Incríveis. Essa seria uma boa forma de definir esse novo experimento da Disney com computação gráfica sem passar pelo estúdio da Pixar – mas que fique claro que hoje o presidente da Disney é o mesmo que foi recentemente o presidente da Pixar.

Mas Bolt é mais uma prova de que os filmes para crianças de hoje em dia, não são tão infantis como os de 30 anos atrás. As seqüências de ação – tanto as do seriado, quanto as das aventuras verdadeiras do cachorro que não sabe que é estrela de um programa de TV – foram tão bem elaboradas, as câmeras são impressionantes, quanto às de os Incríveis.

E se falarmos de personagens coadjuvantes que roubam a cena, seriam muitos. Comparando com Madagascar: saem os pingüins – sempre sensacionais – e entram os pombos paulistas, saem as Lêmures ensandecidas e entra um rato perturbado. Excelente filme, pra estar na estante ao lado dos já citados, Os Incríveis: nota 9,0!

Nenhum comentário: