!!Dicas em páginas!!

27 de ago de 2007

Quadrinhos/literatura:

Não sei se você sabe, mas o mundo dos quadrinhos não é mais o mesmo: o vilão de hoje pode ser o herói de amanhã e aquele hábito que os bons heróis tinham de entregar o vilão a polícia, ao final da história, é uma raridade, pois na maioria das vezes ele o mata e ainda recebe apoio dos civis e tiras.

Esta revolução teve início há muito tempo e pelas hábeis mãos de dois autores sensacionais senão até geniais: Frank Miller e Alan Moore. Duas obras, de cada, fundamentaram o que os quadrinhos seriam nos próximos 20 anos e elevaram os heróis de capa e poderes mágicos a outra categoria. São elas: “Batman Cavaleiro das Trevas” e “Batman Ano Um” de Frank e “Watchmen” e “V de Vingança” de Moore.

Mesmo sendo obras conhecidas - “Watchmen” que será filmada esse ano e chega aos cinemas em 2008, foi escolhida pela Revista Time como uma das cem melhores obras já escritas - nenhum desses clássicos da nona arte realmente é conhecido do grande público.

“Mas o que diacho este cara pretende falar com isso?”, você se indaga e daqui deste lado do computador sai à resposta: este alicerce fundamentado há anos pode começar a ter mostras mais comerciais com o lançamento da minissérie “Guerra Civil” da Marvel Comics – lar de Capitão América, Homem de Ferro, Hulk entre outros - em nossas bancas.
A grande sacada dessa mini, que foi campeã de vendas nos EUA no ano passado, é mostrar o que realmente ocorreria se os heróis existissem e colocassem as mãos em perigosos vilões. Para que conseqüências maiores, como mortes de civis aos milhares, não se tornem apenas algo corriqueiro de mais uma aventura, o governo americano decide então registrar todos os heróis do universo Marvel.

É exatamente aqui que reside a grande sacada da série: o que aconteceria com um cara como o Homem Aranha, cheio de pessoas que o amam – como a tia May e sua esposa Mary Jane – e o odeiam – dezenas de vilões que foram para a prisão ou foram “humilhados” – se ele decidisse ir a imprensa e dizer: “Eu sou Peter Parker!”?

O resultado disso pode ser sentido não apenas na série, como nas demais revistas com o selo Marvel já em todas as bancas. O que eu posso afirmar é: compre e prepare-se para um texto bem feito – graças ao melhor redator de quadrinhos da atualidade, senhor Mark Miller, que já escreveu durante algum tempo os pronunciamentos do ex primeiro ministro inglês Tony Blair – e excelentes desenhos – feitos pelo incrível Steve Mcnieven.
Tá com dinheiro sobrando? Então compre imediatamente “Assombro” o mais recente livro lançado pelo mestre da literatura moderna Chuck Palahniuk. Aqui ao invés de tomar somente uma história e conta-la do início ao fim, ele aposta em pequenos e médios contos que somados formam um incrível livro. É da editora Rocco e merece lugar de destaque na minha coleção de trabalhos anteriores do autor, como: “Clube da Luta” (filmado por David Finch e com Brad Pitt e Edward Norton no elenco), “O Sobrevivente”, “Cantiga de Ninar” (o melhor de todos), “No Sufoco” - que já está com seus direitos comprados para ser adaptado para as telonas, mas ainda se encontra sem diretor - e “O Diário”.

Um dos textos desse super lançamento já foi publicado aqui no blog e é altamente recomendável para quem fica horas sozinho e pensando em alguém!

Amanhã música (Beastie Boys e Queens Of Stone Age)!!!

Nenhum comentário: