!!Três vezes um... ou: a trinca mais esperada do ano só tem um ás!! por Rodrigo Castro

10 de jul de 2007

Eu sei caro leitor que nunca mais postei nenhum dos meus artigos sobre cinema. Aliás, faz um tempo que não tenho a oportunidade de por meu raciocínio sobre um filme assistido em frases entremeadas por vírgulas e pontos, sejam eles seguidos, em dupla, acompanhado de vírgulas ou até mesmo parágrafo.

Mas não pense você que não assisti a mais nenhum filme neste período, ou que parei de ver filmes de qualidade e por isso abdiquei de postar alguns artigos. Longe disso. Neste tempo assisti aos três filmes “mais esperados de 2007” – “Homem Aranha 3”, “Piratas do Caribe: no fim do mundo” e “Shrek o terceiro”. E todos, tirando os “Piratas”, me decepcionaram e muito.


Sim, a terceira aventura de Peter Parker é a mais fraca. Totalmente sem história e dona de uma falta de respeito incomensurável para com um personagem importante dos quadrinhos e até mesmo do cinema, o Homem Aranha, ora bolas. Pena, pois as duas primeiras partes são sensacionais.







“Shrek o terceiro” comete o mesmo erro do teioso e apresenta uma história mal trabalhada, além de contar com seqüências escatológicas, as quais nunca tinham sido utilizadas em demasia por todos os filmes da série. A culpa pode ser do diretor estreante, do diretor das primeiras partes que escreveu o argumento desta nova empreitada ou até mesmo dos donos da franquia que viram a chance de jogar mais uma seqüência de sua cine série nas telas, ou seria no lixo?




O interessante mesmo, é que das três continuações, a que menos importava, para este escriba – não tenho sequer um DVD desta série em minha coleção – era a liderada pelo capitão Jack Sparrow, de Johny Depp. E o mais engraçado é que dessa trinca, a que merece mais destaque é exatamente a dos ladrões dos mares.
Após por os olhos nestes filmes, ficam alguns pontos que merecem ser levados em consideração e devem ser discutidos nas onversas sobre cinema:

1 - Não é porque duas séries de três filmes dão certo – como “O Poderoso Chefão” e “O Senhor dos Anéis” - que você, cineasta, tem a obrigação de realizar uma seqüência de mais dois filmes para aquele seu primor de idéia original. Ainda mais se esta brilhanteidéia , a continuação, surgiu em uma sala repleta de engravatados.

2 - Se há algo que as trilogias clássicas, já citadas, realmente acertaram a mão foi: ambas primaram pelo respeito ao texto realizado originalmente. Ou seja: deixaram de lado alguns detalhes e deram importância ao que realmente dá fluxo a história, o enredo.

3 – Caso você tenha arrecadado muito dinheiro com a primeira idéia, não comemore tanto e se conscientize de que tal feito se deu porque o que importava era: oferecer um filme na medida para os comedores de pipoca e para os entendedores da arte.

Resumindo: realizadores, ponham lógica e respeito em sua trilogia que vocês chegam lá (e bem).

Nenhum comentário: